Ruta 40 - Aventura em dez dias

Ruta 40 - Aventura em dez dias
Clique na foto para ir ao comentário - Resumo da viagem

Ruta 40 - Mendoza - dia 12.09.2009


Chegamos bem, no meio da tarde, após cumprir o trecho de Ruta 40.
Depois da arrumar as coisas e tomar um banho, fomos para o centro, jantar.

Laury em frente ao Park Hyatt Mendoza & Regency Casino Mendoza
João e Barão
Roberto, Caco e Laury


Mendoza é a capital e a maior cidade da província de Mendoza, na Argentina. Localiza-se no oeste do país, nas bordas dos Andes, e é um importante pólo de produção de vinho e azeite.


A base da cidade atual surgiu de um ordenamento realizado em 1863 pelo agrimensor francês Ballofet e que inclui a disposição estratégica de várias praças. A atividade econômica está fortemente vinculada à indústria de elaboração de vinhos, alimentos, e outras bebidas e, também, com o refinamento de petróleo. Além disso, o setor de turismo vem se destacando bastante.

Segundo o censo de 2001, a cidade conta com aproximadamente 110.993 habitantes, o que representa um decréscimo de quase 9% em relação aos 121.620 habitantes do censo de 1991. Este estancamento é produto da inexistência de lugares que permitam o crescimento da população, ao que se soma uma tendência geral da população a abandonar o centro, o qual é ocupado por oficinas e comércios. A Grande Mendoza, por sua vez, é quase 8 vezes maior e apresentou um crescimento populacional de 10%. A cidade de Mendoza é a quarta cidade da Argentina em quantidade de habitantes no conjunto urbano.

História

A cidade de Mendoza durante o período colonialO primeiro assentamento espanhol na região foi estabelecido em 2 de março de 1561, quando Pedro de Castillo, comissionado por García Hurtado de Mendoza, fundou a cidade que logo seria a capital da província. No ano seguinte, 1562, foi transferida, operação que esteve a cargo de Juan Jufré. Grande parte da edificação colonial foi destruída em 20 de março de 1861 após um intenso terremoto.

A cidade é uma das poucas que conservou relações amistosas com os povos de origem, que habitavam a região antes da fundação. Na segunda metade do século XIX, Charles Darwin visitou a região e em suas escritas e diários de viagem se podem encontrar referências dos aspectos culturais, geológicos e biológicos (flora e fauna) da cidade na época.

A região em que a cidade está situada é semi-desértica, sendo que a água só é encontrada nos oasis, onde os rios que descem dos cumes dos Andes derramam suas turbulentas correntes de água. Dentro das pricipais cidades foram construídos drenadores, encarregados de regar as árvores nas calçadas das ruas.

Clima

Climograma de MendozaMendoza possui um clima árido e continental, as temperaturas apresentam uma grande oscilação anual e as precipitações são escassas. O verão é quente e úmido, com temperatura média girando em torno de 25°C, e é a época mais chuvosa do ano. O inverno é frio e seco, com temperatura média abaixo dos 10°C, geadas noturnas ocasioais e escassas precipitações. A ocorrência de neve e chuva com neve não são raras e ocorrem, geralmente, uma ou duas vezes por ano, embora com pouca intensidade nas zonas mais baixas da cidade.

Aspectos urbanos

Plaza Sarmiento, um parque da cidadeO centro da cidade possui uma excelente arborização, com muitas árvores, regadas por canais pequenos que funcionam junto a muitas ruas, proporcionando a irrigação necessária. A cidade se concentra ao redor da Plaza Independencia, com uma rua peatonal, Sarmiento. Outras ruas importantes, que atravessam de forma transversal a Sarmiento, são a 9 de julio e a Av. San Martín, que é a principal. Paralelas a Sarmiento correm as ruas Aristides Villanueva e Las Heras.

Existem muitos cybercafés e armazéns ao ar livre em Mendoza. Alguns lugares contam com tecnologia inalâmbrica (redes wifi ou sem fio). Em 2005 foi eleita a cidade mais digital da América Latina no VI Encontro Ibero-americano de Cidades Digitais, devido à quantidade de serviços por internet que se oferecem a seus cidadãos.

Transportes

O Serviço Público de Transporte Urbano, na Gran Mendoza (Grande Mendoza) é atendido principalmente por um meio de locomoção ágil, os ônibus bi-articulados (ou Trolebuses, em espanhol). São 55 unidades, o maior número de toda Argentina.

Existe uma linha exclusiva de carros elétricos (Tranvía, em espanhol, bonde em português do Brasil) para passeios turísticos com paradas estratégicas por toda a cidade.

Trem e cremalheira

A cidade de Mendoza e Los Andes são parte importante do chamado Corredor Bioceânico. Desde 1910, parte de Los Andes, com direção a Mendoza, o Trem Transandino, obra dos ingleses Juan e Mateo Clark, que transportava passageiros e carga desde 5 de abril de 1910, data de sua inauguração. Desde o fim dos anos 70 deixou de transportar passageiros, e finalizou completamente suas operações. Em 2006, está em projeto a reinauguração deste histórico trem.

Dos trabalhadores deste trem, em Los Andes, Chile, nasceu o clube esportivo Trasandino, representante oficial de futebol da cidade.

A ferrovia, fora de serviço, funcionava com trem movido a carvão.

3 comentários:

  1. Laury, já estava acompanhando tua viagem mas agora que estou de molho (fratura no fêmur) estou babando ainda mais. É punk, hein? Aproveitem bastante, abraços, Fernando Ilhabela,SP

    ResponderExcluir
  2. Poxa amigo.
    Que ruim. O que aconteceu?

    ResponderExcluir
  3. Laury, quebrei enquanto fazia jogging, chama-se fratura de stress e parece que não é tão raro assim. Tua viagem é o máximo, sonho de consumo de qq um. Baita abraço,
    Fernando

    ResponderExcluir

Visita por países desde 11.12.2009


comprar e vender